quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

A minha terra adotiva!!! Carlos Paredes e Carlos do Carmo

Um fado lindo, cantado por uma voz que eu gostaria minha...

Morro de amor pelas águas da ria
esta espuma de dor eu não sabia
sou moliceiro do teu lodo fecundo
sou a ria de Aveiro o sal do mundo
vara comprida tamanho da vida
braço de mar a lavrar a lavrar
morro de amor nesta rede que teço
e é no sal do suor que eu aconteço
para além da salina o horizonte me ensina
que há muito mar para lavrar, para lavrar, para lavrar...


segunda-feira, 13 de novembro de 2017

domingo, 15 de outubro de 2017

Aquela Canção por Miguel Gameiro e Cuca Roseta



É tarde e a cidade parece dormir
E eu quero ficar acordado

Perguntas-me o porquê de me estar a rir
Tenho o segredo mais bem guardado

E no abraço apertado
Cantamos aquela canção

Como a força do mar num porto qualquer
És a calma de um rio nessa pele de mulher
Como chama que arde e se apaga a seguir
És passado, és presente
És futuro que há de vir
Como o ar que me falta e se aperta no peito
És a palavra certa no poema perfeito
Como brisa que vem numa tarde de Verão
És a voz no silêncio
És aquela canção

(Cuca Roseta)
Entre a pressa e o desejo
Secreta paixão
Rodamos entre quatro paredes

Com a força de um beijo
Tiras-me o chão
Corpo seco, que mata a sede

E rimos como crianças
Talvez já nem haja amanhã

Como a força do mar num porto qualquer
És a calma de um rio nessa pele de mulher
Como chama que arde e se apaga a seguir
És passado, és presente
És futuro que há de vir
Como o ar que me falta e se aperta no peito
És a palavra certa no poema perfeito
Como brisa que vem numa tarde de Verão
És a voz no silêncio
És aquela canção (2x)